Janeiro . Anthotype no Sesc Santana

Semana que vem já tem curso de anthotype no Sesc Santana.

Terças e quintas a partir do dia 15 de janeiro, das 15h a 17h.

 

https://www.sescsp.org.br/aulas/177725_FOTOGRAFIA+EM+ANTHOTYPE

Captura de tela 2019-01-09 21.07.55.png

(De noite tem o curso do Edison Angeloni de Pinhole, como está ali na parte direita da imagem)

A parte comemorativa pra mim é que esse ano faz dez anos que dou oficina desse processo, que me faz refletir sobre a vida, sobre imagens, sobre permanências.

Esse estudo se iniciou por uma curiosidade em 2007 e virou trabalho de conclusão de curso porque representou naquele momento tudo que eu estava perdendo. Meu projeto era completamente outro, com outra professora orientadora, mas no meio do ano ela foi demitida. Ao mesmo tempo estávamos perdendo espaço para o ensino focado em tecnologia digital e eu não acho que a fotografia pode ser resumida em digital x analógico – especialmente numa faculdade de fotografia – acredito ainda que as duas coisas são uma só e elas se integram, não são coisas separadas pra mim.

Então as imagens relacionadas ao processo no TCC continham essa reflexão sobre as coisas e sua duração. A permanência das imagens – digitais e analógicas – as relações pessoais, os lugares em que vivemos… Nas imagens coloquei alguns objetos como álbum de família – que era da minha família mas eu não sei quem são (isso já é outra história) – a câmera que meu pai usava para fazer as fotos de família – e foi com ela que tirei a primeira foto que me fez sentir gosto pela fotografia – entre outras.

Essas últimas semanas tenho feito uma limpeza geral nos arquivos e lembro da ideia do projeto: muita foto tive que jogar fora, porque já não fazia mais sentido guardar, as relações pessoais mudam, os cachorros e gatos morreram, a foto dos irmãos que eles não gostariam de ver..

Agora a ideia da permanência da imagem feita a partir de anthotype tomou outro rumo quando comecei a pesquisar plantas tintureiras. Só que ainda não tenho nenhuma conclusão satisfatória sobre isso, tenho plantado algo aqui e ali. Se der certo postarei algo. Eu deveria ir estudar isso junto a uma instituição – pesquisar com verba própria tem seus problemas e leva um tempo.

Basicamente o anthotype é feito com o sumo de plantas ou a planta em si para fazer uma cópia fotográfica.

Para fazer essa técnica utiliza-se uma matriz – um positivo em transparência para gerar outras imagens positivas nesse material preparado com plantas.

E precisamos de uma fonte de luz Ultravioleta bem forte pra produzir nossas imagens, como o Sol, que está bem abundante nessa época e deixaria com inveja até o Herschel nessas horas, que produzia seus anthotypes no calor nublado londrino.

Eu costumo compartilhar meu texto com quem pede, mas confesso que aquilo foi só um início e eu aprendi muito mais depois. Hoje eu acho que tem trabalhos muito mais completos sobre o assunto.

Anthotypes-ElizabethLee-2008

Relógio – Anthotype 2008 – Beth Lee – essa imagem é do TCC e uso de quando em quando pra divulgação. O relógio tem a ver com o tempo, mas especialmente esse é um relógio quebrado, abandonado, pois meu pai era relojoeiro e consertava o tempo das pessoas.

 

Só tenho a agradecer ao Sesc e às pessoas que me contratam por poder esse conhecimento a tantas pessoas, não sei até quando continuaremos mas se houver corte no sistema S talvez esse trabalho… sei lá – e eu vou ter que buscar outras alternativas pra continuar me virando com fotografia.

Anúncios

Criar imagens . imaginação . permanência

Tenho lido um texto sobre fotografia e cinema. André Bazin em Ontologia da imagem fotográfica, eis o trecho:

“Niépce e Lumiére foram seus redentores. A fotografia, ao elevar ao auge o barroco, liberou as artes plásticas de sua obsessão pela semelhança. Pois a pintura se esforçava, no fundo, em vão, por nos iludir, e essa ilusão bastava à arte, enquanto a fotografia e o cinema são descobertas que satisfazem definitivamente, por sua própria essência, a obsessão de realismo.”

Ora penso aqui, enquanto travo um embate na minha cabeça com a explicações para um texto sobre a fotografia analógica e alternativa, que a tecnologia digital também liberta todas as outras técnicas fotográficas da necessidade comercial e da busca pela imagem com maior resolução, mais 3d, mais 4k, enfim!! Estou escrevendo sobre isso, essa parte é só meu esboço de um pensamento. Mas criar imagens com essa liberdade toda, é algo a se explorar..

Semana que vem começa uma oficina no Sesc 24 de Maio, de terça a sexta das 14h a 17h. A ideia é é criar cenas, retratos ou texturas retrofuturistas, com o uso de montagem em programa de edição de imagens, para fazer cópias em processos fotográficos do século XIX, como o cianótipo e o marrom van dyke. Vamos exercitar um pouco os neurônios pra criar cenas que não existem, liberar a imaginação porém com tema.

https://www.sescsp.org.br/aulas/159755_FOTOGRAFIAS+HISTORICAS+DO+RETROFUTURO

Divulga-ProcessosHistoricos-BethLee

e na semana seguinte tem uma outra atividade que gosto muito,

Vamos fazer uns retratos com minha câmera de madeira sim! E fazer as cópias em marrom van dyke! uou…

https://www.sescsp.org.br/aulas/159806_RETRATOS+EM+CAMERA+DE+MADEIRA

Divulga-Retrato-CameraMadeira-BethLee

 

Mês que vem!!!! Agosto tem anthotype e cianotipia no Sesc Paulista aos fins de semana e anthotype também no Sesc Bertioga!!!!

 

https://www.sescsp.org.br/online/artigo/12097_JARDINS+LINDOS+DE+VER+E+FAZERCaptura de tela 2018-07-14 14.42.34

Van Dyke vai pra Campinas

 

vandyke-bethlee2017-005

van dyke, nu 2017

 

Amanhã começa um curso de fim de semana no Sesc Campinas, sábado e domingo das 11h às 18h – com uma pausa para almoço.

Para o festA!  estarei no Sesc São Caetano na sexta feira dia 10 de março e dia 11 e 12 no Sesc Belenzinho, com cianotipia e antotipia respectivamente.

E dia 18 de março tem cianotipia no Sesc Itaquera!!

 

Vai ter anthotype logo mais no Sesc Belenzinho nas quartas à noite e Dustin on.

Tem mais novidades mas logo mais tiro mais fotos.

 

 

A foto acima aliás está disponível na loja Nós Lunares na Galeria Ouro fino.

@noslunares

 

Antotipia nas bandas de Campinas

Anthotype-Divulgação001

Quinta feira inicia uma atividade de Antotipia no Sesc Campinas.

Anos atrás resolvi pesquisar o processo de se produzir imagens a partir do uso de plantas. Cada ano descubro um fato novo.

Cada curso tenho feito de um jeito. Antes, fazia com espinafre, café. Tenho estudado um pouco mais sobre flores, comprado sementes que ainda não deram tantas flores, buscado plantas nativas daqui e algumas pancs que também são excelentes para fazer testes. Como as pancs não são plantas muito fáceis de achar para comprar, tenho procurado pela rua mesmo.

Serão quatro encontros na parte da tarde, das 15h a 18h. Dessa vez eu vou fazer com muitas flores.

Atividade: Introdução a Antotipia

Sesc Campinas Sala 4

Quintas 09.06.2016  a 30.06.2016

Horário: 15h a 18h

http://www.sescsp.org.br/programacao/95851_INTRODUCAO+A+ANTOTIPIA

 

O que acontece esse semestre

Dia 29 de março de 2016 começa mais uma turma de Processos Históricos no Sesc Pompéia, mesmo horário nas terças feiras.

Serão doze encontros de 3 horas, finalizando o curso dia 14 de junho.

Como sempre eu inicio com a cianotipia e já comecei o ano fazendo muitos testes, em diferentes papéis e tamanhos.

Certa vez fiz a compra de químicos e o fornecedor acabou me enviando o Citrato marrom. Como eu sempre aprendi que ele é mais fraco e etc, achei que tudo estava perdido…

Até testar ele. De início não percebi muita diferença, mas colocarei minha conclusões aqui logo logo (prometo Alexander).

Segue o Link do curso: Curso De Processos Históricos – Pompéia

As inscrições já foram, mas eu garanto que sempre dou uma olhada na lista de espera.

 

Neste semestre não teremos o curso com o Serginho Ferreira, mas talvez no semestre que vem.

Tenho feito alguns testes com anthotypes, resolvi plantar algumas flores para continuar a fazer algumas fotos. (frase estranha) Mas é que gosto de plantas, acabei juntando uma coisa com a outra.

PSX_20160315_132443

Papel com sumo de rosas – Rosa de cor de rosa, trepadeira. Que será que aparece aqui?

 

E em abril tem curso com a Simone Wicca no Imagineiro !!

São só cinco vagas e o espaço de aula é na Casa Ranzini, Rua Santa Luzia, 31.

http://www.imagineiro.com.br/anthotypes-com-simone-wicca/

Curso de Anthotype – Atelier Novo

Mês de novembro é sempre corrido, nem consegui postar no blog a oficina que já começou no Atelier Novo.
Mas quem quiser ainda pode se inscrever:

Acontece nos dias 05, 12 e 19 de Novembro / 2011. A partir das 13h00, aos sábados.

O valor é R$ 60,00 antecipados e válidos para três encontros com duas horas de duração cada.

Os participantes devem trazer Imagens fotográficas em transparências, ou arquivos digitais; papéis de aquarela ou aldodão para as impressões em anthotype.

A oficina busca ensinar ao participante um processo fotográfico inventado por John Herschel no séc XIX que consiste em formar imagens com o sumo de flores, frutos ou folhas tendo como suporte o papel para aquarela ou gravura. Por se tratar de uma técnica sem utilização de químicos, sua produção leva dias, e quando pronto deve ser protegido de iluminação abundante a fim de evitar seu desaparecimento.

São ensinadas duas modalidades:
a) Impressa em papel com o uso de sumo de plantas.
b) Impressa diretamente numa folha de planta.

Público alvo: estudantes, educadores, fotógrafos, artistas e interessados em geral, a partir de 16 anos.
Vagas: 10 alunos.

Ateliê NOVO
Rua Fradique Coutinho, 934 casa 2 Vila Madalena, São Paulo – SP Brasil
http://www.atelienovo.wordpress.com

Oficina de Fotografia Anthotype no CCJ em Agosto

O CCJ está com uma boa programação de cursos em agosto e dentre eles está meu curso de anthotype.

SEMANA TEMÁTICA: FOTOGRAFIA

OFICINA: FOTOGRAFIA ALTERNATIVA – ANTHOTYPE

Relógio - Anthotype 2008 - Beth Lee

Experimentação de uma técnica fotográfica histórica do século XIX, realizada a partir do uso de plantas, frutos ou flores. O participante aprenderá a confecção da imagem, montagem e conservação. Com: Elizabeth Lee, bacharel em Fotografia com habilitação em Fotografia Aplicada pelo Centro Universitário Senac. É docente do projeto Cidade Invertida, ministra oficinas de fotografia artesanal no Sesc e trabalha como fotógrafa de eventos para revistas e empresas, still e fotografia de arquitetura pela Odju Produção de Imagem. http://www.flickr.com/bethzlee | http://www.flickr.com/fotons

Oficina: dias 10, 12 e 17/08, das 14h às 16h.

Local: Espaço Sarau.

Inscrições: a partir de 01/08, na recepção do CCJ.

Obs: +15 anos. 15 vagas. Critério de seleção: ordem de inscrição.

http://escuta.estudiolivre.org/2011/07/18/oficina-fotografia-alternativa-%E2%80%93-anthotype/

obs: Só pra esclarecer, eu sou professora no Sesc, o curso é de processos históricos do Sesc, não Senac.