Vira Vira Cianotipia

20160921_204240

Essa uma foto que gosto muito. Da Carol Prado, que fez uns cians em 2016 no Sesc Vila Mariana. A viragem fizemos com chá preto e as altas luzes ficaram levemente alaranjadas, a baixa luz continuou com azul porém mais fechado.

A graça do cianótipo são as interferências que podemos fazer com viragens. E tem uma boa brincadeira se usarmos ácido acético para revelar, água oxigenada para intensificar e um pouco de chá para mudar sua cor.

São materiais fáceis de comprar e sem mistério.

O que fizemos no Lab:

Banho de Água Oxigenada:

-20ml água oxigenada (pode ser 10 volumes)

-1000ml água

Depois de pronta a cópia é só mergulhar a imagem no banho, a reação é imediata. As quantidades não precisam ser exatas, faço assim mais para não gastar muita água oxigenada. Mas essa é uma diluição que faço para um turma de 10 pessoas em média. Em casa dá para usar bem menos.

Revelação com Ácido Acético:

-10ml ácido acético glacial

-1000ml água

Novamente é uma diluição que rende bem. Pode ser utilizado vinagre no lugar dessa solução. Traz mais meio tons, achei bem interessante.

Viragem com Café:

Banho 1-Rebaixador:

– 10g carbonato de sódio

– 1000ml água

Deixar o cianótipo alguns minutos nesse banho em agitação leve. A imagem irá rebaixar (sumir). o carbonato de sódio pode ser encontrado como barrilha – produto para piscina

Banho 2 – Café

Nesse banho só preparei um café forte mas não muito exagerado. Leva cerca de vinte minutos, é deixar e esperar um pouco. Mas o resultado é no olho, veja até onde agrada.

Viragem com Chá:

Banho 1 Rebaixador – o mesmo do café

Banho 2 – Chá preto

Fizemos com chá preto e chá vermelho, que vem da mesma planta. Dá um diferença de tom interessante.

Cian-viragemCarolPrado20161009_094536

Anúncios

Sobre Dusting on – Revelação a pó

Há muito fiquei devendo um post mais completo sobre dusting on. Existem várias técnicas de revelação a seco mas a que eu pesquiso desde 2005 é o motivo de eu fazer essas técnicas alternativas até hoje.

IMG_20190611_205439

Fiz uma foto dessa chata que nem fala comigo… mas essa moça da foto me ajudou muito a chegar na fórmula. Foram meses tentando…

Já havia comentado um pouco sobre o começo disso, as técnicas descritas nos livros são um pouco diferentes daquela que eu faço. Por que? Porque a pessoa é teimosa e eu não queria que ficasse resíduo de dicromato na placa, então resolvi lavar a placa ao final do processamento como uma modificação do processo. E deu certo. Então qualquer fórmula que tiver lavagem de placa provavelmente é a minha, já que na ideia original não precisava disso, pois era uma técnica para queima em cerâmica então não fazia diferença se havia residual ou não.

 

Dusting On da Beth Lee  🙂

50ml água

2g de gelatina

10ml de mel *

5g de dicromato de potássio

 

*até mel falso funciona (sim! existe mel falso!!)

 

Como preparar a fórmula:

-Pese a gelatina. Coloque  uma parte da água fria para hidratá-la por cerca de quinze minutos. Recomendo que seja entre 20 a 25ml de água. Após esse tempo, adicione água a cerca de 55 graus mais ou menos. A temperatura final não pode ultrapassar os 50 graus, caso contrário a gelatina perde suas propriedades. Eu prefiro adicionar água a até 55 graus e deixar em banho maria até dissolver direito. Depois adicione o mel, por fim o dicromato. Essa fórmula é bem sensível à luz então luz indireta incandescente para trabalhar.

A técnica necessita de um certo controle de umidade e temperatura. Digamos que um ambiente polar talvez seja ótimo. Mas se estiver num tempo seco (ar condicionado funciona bem), a 20 graus vai dar muito certo. Se estiver úmido e quente, sinto desanimar, vai dar trabalho.

A fórmula funciona melhor se deixar descansando por cerca de 1 hora e meia.

Escolha uma superfície lisa, vidros ou metais funcionam bem. Aplique uma camada fina.

Fina é difícil de descrever. O mais fina possível. Porque senão vai demorar pra secar e vai ser à toa. Essa semana mesmo tentei mostrar uma camada fina, acho que essa percepção muda de acordo com a experiência. Tô tentando fazer um vídeo sobre isso mas tá faltando tempo. Um dia consigo.

 

Seque até o positivo ( é um processo positivo-positivo) não grudar na superfície. Se encostar a luva e não ficar marca, é o ponto certo. Sim! Use luvas! seja educado com suas fotos. E avental!! – ah mas a roupa se manchar eu jogo fora… mottainai! dê valor aos objetos. Especialmente sua saúde. (nota: eu faço esses processos e estou sempre tomando cuidado com o contato desses químicos. Se algo faz mal eu sou uma das primeiras pessoas a sentir. Eu passo mal com REPELENTE! só pra terem uma noção da sensibilidade aqui)

 

E mesa de luz. Em geral deixo o mesmo tempo de goma bicromatada. O que vai entre 2 a 3 minutos. Varia de acordo com a intensidade da lâmpada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

momentos de revelação. o pó é muito fino. cuidado para não fazer ele levantar no ar.

E por fim momento de revelar com pigmento.

 

Eu uso o pigmento mineral. Pó xadrez funciona bem também.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Alguém usou canela. não dá pra lavar depois.

Depois é só expor na luz novamente para terminar de endurecer o restante.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Enfim, mergulhar em água bem gelada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Tive presenças ilustres num curso no Sesc Belenzinho. e ele colocou algumas fotos lindas nesse link: https://refotografia.wordpress.com/2017/06/07/dusting-on-com-beth-lee/

 

Qual é a história minha com esse processo? Em 2005 eu vi essa técnica e desde então pesquisei e testei fórmulas. As fórmulas que achei não faziam a lavagem da placa e deixava um véu acinzentado que me incomodava. Algumas vezes nem incomodava tanto, mas eu queria tirar o resíduo para ficar mais clara. Então na época pensei que como os filmes fotográficos eram feitos de gelatina, se eu adicionasse à fórmula criaria uma emulsão mais resistente. Mas até chegar nesse final feliz foram muitas tentativas. Então se não der certo na primeira é a coisa mais normal. Fiquei meses testando fórmulas.

 

 

Marrom Van Dyke no Oswald e PB no Belenzinho

Neste mês de setembro começa um curso sobre fotografia analógica no Belenzinho, para entender a câmera reflex e fotografar com filmes. Quartas feiras, 12 de setembro a 03 de outubro, das 19h-22h.

As inscrições são presenciais, Credencial plena: 4/9 (terça), às 14h
Credencial atividades e público em geral: 11/9 (terça), às 14h
Vagas remanescentes: 12/9 (quarta), às 14h

https://www.sescsp.org.br/aulas/165551_FILMES+E+CAMERAS+FOTOGRAFICAS

 

E hoje abriram as  inscrições na Oficina Cultural Oswald de Andrade para o curso Marrom Van Dyke, que acontecerá às sextas de 05 de outubro a 14 de dezembro,  das 18:30h – 21:30h. São 8 encontros.

O marrom van dyke é uma técnica fotográfica do século XIX que permite a reprodução fotográfica de um negativo. O objetivo da oficina é compreender seu contexto histórico, como se dá o funcionamento de controle dos tons no negativo e na cópia e produção de imagens fotográficas, que podem ser realizadas em papel, tecido ou madeira.

OFICINA: FOTOGRAFIA ALTERNATIVA – MARROM VAN DYKE

Coordenação: Beth Lee

5/10 a 14/12 – sexta(s)-feira(s) – 18h30 às 21h30 (Exceto dias 12/10, 02 e 16/11)

Público: Fotógrafos, artistas , estudantes e interessados em geral.

Inscrições: 3/9 a 21/9

Seleção: Carta de interesse

Vagas: 12

Indicação: maiores de 16 anos

Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade – Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo/SP

Link para inscrição:

https://poiesis.education1.com.br/publico/inscricao/e7db14e12fb49c1d78a573e6e5f542c2

Atividades do Ano do Cão

Na expo do Ano do Cão ainda temos algumas atividades integradas acontecendo durante as próximas semanas. Atividade gratuita todos os sábados com demonstração de colódio úmido 15:30h até dia 23 de junho de 2018. Venham nos visitar e participar da foto também!

Exposições, palestras e kits

Nesse final de semana abrimos uma exposição coletiva no espaço do Imagineiro – Chama-se Ano do cão – todas as imagens realizadas em placa úmida de colódio, processo fotográfico inventado em 1851. O funcionamento é somente sextas e sábados. Fica na Rua Santa Luzia, 31, próximo ao metrô Liberdade.

Outra expo com imagens minhas está em Campinas, faz parte do Raros, vintages e inéditos que aconteceu em duas edições anteriormente e agora está itinerando.

Como atividade integrada à exposição, farei uma palestra sobre Processos Históricos – baseado no percurso das técnicas, desde o antotipo até o colódio. Um pouco das minhas impressões sobre as técnicas ao longo da história.

Mais informações na página do facebook do evento:

https://www.facebook.com/events/193077714671897/?event_time_id=193077748005227

Divulgacao-PA-Pinceis

Site do imagineiro: http://www.imagineiro.com.br

 

e eu tinha parado de fazer os Kits, vou voltar com eles na Frofa – Feira da Fotografia Analógica – no dia 24 de junho. https://www.facebook.com/events/435731083535148/permalink/436867966754793/

flyer-anodoCaorarosvintagesineditos-flyerAtividadesintegradas-Anodocao

 

Observatório camerapreta no Sesc Campinas – pinholeday!!

Nesse final de semana terá o Pinholeday, e eu não estarei participando do evento com atividade, mas o Edison irá com o Observatório, que é a tenda que funciona como uma grande câmera obscura.

Nosso amigo Washington Sueto ajudará na atividade, no domingo dia 29 de abril.

E vai ter construção de câmera obscura portátil também, 10h no mesmo dia

 

Eu vou ajudar o amigo Roger Sassaki em Piracicaba, vai ter ambrotipia, que é uma imagem em placa de vidro e monóculos fotográficos, com direito a revelação e tudo mais.

 

20171118_164101

 

https://www.sescsp.org.br/programacao/151826_CONHECENDO+O+AMBROTIPO+PLACA+UMIDA

https://www.sescsp.org.br/aulas/149569_PRODUCAO+DE+MONOCULOS+FOTOGRAFICOS+PB

Processos históricos no Sesc Pompeia

Ainda tem vagas abertas para os cursos de Fotografia no Sesc Pompéia, e a inscrição para o público geral é amanhã!!

http://oficinas.sescsp.org.br/curso/processos-historicos-em-fotografia-2

E para os cursos de Laboratório PB ainda restam algumas vagas.

http://oficinas.sescsp.org.br/evento/show/fotografia-cursos-regulares-2-semestre-2017

BethLee-PapeisSalgados-3flores-2016-ma